domingo, 22 de maio de 2011

Não se reprima

Eu estava na 7a série. Primeira aluna da classe, sempre. Gordinha, sempre. Provavelmente sofri bullying, mas sinceramente, não lembro. Um histórico escolar impecável. Aí desembarcaram no Brasil esses 5 meninos de Porto Rico. E virou meu mundo de cabeça pra baixo.


De repente eu era uma menudete histérica, que tinha que comprar todos os discos, todas as revistas, andava na rua com broches, gel new wave no cabelo. No quarto, tinha posters até o teto. Tinha vergonha de me trocar lá dentro porque estava cheio de homens!

Nessa época, passei a mentir para meus pais, a dizer que ia estudar na casa de amigas e ia para porta de hotel esperar eles saírem na janela, fui escondida ao programa do Gugu e apareci na TV (sim, a Lei de Murphy existe há muito tempo - minha mãe estava assistindo e me viu!). As médias escolares cairam, porque quem tinha tempo para estudar? Me filiei a fã-clube, fui a encontros pagos com a economia de um ano de dinheiro do lanche da escola - tem idéia de como isso é difícil para uma gordinha???

Quando olho para esse tempo hoje, olho com imensa saudade. Para mim, o Menudo marcou a passagem da infância para a adolescência. Me fez deixar de ser a filhinha sonsa do papai para virar a garota que luta pelo que quer, que adia as datas de viagem da família porque ia ter show no Morumbi. Acho que foi nessa época que descobri que podia ter voz, ter vontades. E que é muito bom realizar um sonho.

Hoje ganhei um DVD do Menudo de uma amiga. Passei o dia aqui assistindo, lembrando dos passos - ridículos - das músicas. E sentindo uma saudade imensa da época que não sentia todo o peso do mundo nas minhas costas e podia cantar "Não se reprima" para os adultos, me achando a dona da razão!

2 comentários:

... disse...

AHAHAHAHAA... Muuuuuuiiito bom!!!!!

DRICA disse...

Adorei!!!