sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Peso morto

Desde que comecei a fazer terapia, há uns 7 anos, minha terapeuta sempre falou que meu grau de tolerância é absurdo. Que eu me disponho a suportar um peso enorme de relacionamentos, de culpa, de dores. E como carrego tanto peso psicológico e mental, carregar meu peso físico é o de menos.

Existem situações que não reconhecemos este peso de imediato. Não percebemos o quanto toleramos, suportamos e ainda nos sentimos presas, culpadas. Neste episódio que passei, nos últimos dias, com a pessoa que demiti, foi exatamente assim: estava insatisfeita com seu trabalho, e descobri comportamentos totalmente inadequados. Ao invés de resolver o problema, me martirizei por 2 semanas, me sentindo culpada por não estar mais perto, me julguei péssima chefe. Parecia que EU era a vilã, e não ela. Levei dias sofrendo, remoendo, pensando. Claro, na hora que caiu a ficha, fiz o que tinha que ser feito: tchau.

A culpa é algo esquisito. Tem gente que se culpa porque o marido a traiu (ele não é sacana, eu é que estou chata...). E a gente leva um tempo até perceber o que é realmente nosso e o que é do outro. Já é difícil carregar tudo o que é nosso: medos, vaidades, inseguranças, responsabilidades. Se ainda quisermos carregar os outros nas costas... haja problema na coluna!

5 comentários:

Beatriz - Jubiart disse...

Oi Mara!

Estou conhecendo sua "casa" hoje, e já estou rindo sozinha de madrugada... Você e o meu maridão fariam um dueto de "Encrenqueiros", quando ele está com a razão , a tolerância é zero.
Vou dar mais umas voltinhas na sua casa...

Um fim de semana de luz e alegria p/ vc.

Bjs.

Regina Laura disse...

Mara, é bem isso mesmo!
Uma coisa que aprendi a duras penas na vida é que existem os criadores de culpa profissionais.
Tem até os pós-graduados!!
E ai da gente se passar perto de um desses. Com certeza é culpa pra mais de metro!
Ainda hoje tenho que lutar comigo mesma pra não assumir erro dos outros. Mas fiquei bem mais atenta quanto a isso.
Para um desavisado qualquer, posso passar por "insensível". Mas só Deus e eu sabemos o quanto carreguei de peso extra de culpas que não eram minhas para aprender a ver com mais clareza os mimimis alheios..rs
Beijão querida

Anônimo disse...

Eu tbm me sinto assim. Quando algo ocorre sempre toma a culpar para mim, mesmo ela não sendo.

Bjos

Anônimo disse...

Eu tbm me sinto assim. Quando algo ocorre sempre toma a culpar para mim, mesmo ela não sendo.

Bjos

Mulheres Obssessivas disse...

Amiga já estou com bico de papagaio de tanto carregar a bagagem da culpa.
Culpa pelo filho adolescente rebelde, culpa pelo gaz que acabou antes do previsto, culpa pela conta de luz que veio a mais, culpa por me sentir culpada.
Acho que preciso de terapia mais que tudo mas...
Beijos