terça-feira, 23 de novembro de 2010

Paul McCartmey, O show!!

Há 17 anos, Paul McCartney veio ao Brasil. Eu estava viajando a trabalho, não pude ir no show. Mamãe foi com minhas 2 irmãs. E eu fiquei com esta lacuna na minha vida: ver um Beatle tocar. Quando foi confirmado o show, veio aquela palhaçada que vem acontecendo a cada grande show internacional que acontece no Brasil: ingressos caríssimos e que se esgotam em um dia (não esqueço nunca do stress que foi para ver U2 em 2006). Com Sir Paul não foi diferente, e não havia mais ingresso em questão de horas.

Praguejei durante todo o mês de outubro e novembro, mas deixei para lá. Disse que ia tentar ver em outro país. Mas quando foi chegando o dia, foi dando aquele aperto no coração... Na sexta, a TV anunciou o "aparecimento" (aham!) de alguns ingressos. E lá fui eu pro Morumbi tentar comprar a pista, por módicos R$ 300,00. Chegando lá, a pista estava esgotada (aham 2!) e só tinha a Pista Prime, pela bagatela de R$ 700,00. Apertei a tecla F, assinei minha entrada triunfal no Serasa e comprei o ingresso.

Nessa segunda, 22 de novembro, choveu. E qualquer chuva para a cidade de São Paulo. Engarrafamento récorde, e é nóis na fita levando 3 horas para chegar no Morumbi. Chegamos faltando apenas meia hora para o início do show. Na hora que entrei percebi que nasci para ser rica, e que foram os R$ 700,00 melhor aplicados da minha vida! Cheguei em cima da hora e fiquei num lugar sensacional, e enxergava numa boa, do alto dos meus 1,54m.


Paul McCartney entrou no palco, e daí não temos palavras para descrever. Não posso dizer que foi o melhor show da minha vida, pois devo lealdade a Bono Vox e a Simon Le Bon. Mas esse show foi épico, tinha uma aura de sonho. Caramba, era um Beatle alí, na minha frente! E ele foi um fofo! brincalhão, bem humorado, atencioso. E durante quase 3 horas ele cantou clássicos dos Beatles e da sua carreira solo. Setlist aqui. De quebra, homenageou Lennon e George Harrison, e foi muito emocionante.

Paul se esforçou para falar português (com colinha básica, óbvio), e fez alí, ao vivo, a melhor composição que eu vi: fez todo mundo levantar a mão e cantar com ele "tchudo bem in the rain, tchudo bem in the rain". Ok, ele compunha melhor com o Lennon, mas tenho certeza que toda vez que chover eu vou pensar nisso e vou sorrir!

Cantar com todo o estádio o nanananana de Hey Jude, Let it be... emoção inexplicável. Logo após o Give peace a chance, teve uma mulher que deu uma de João sem braço, empurrando. Ia brigar, mas resolvi dar uma chance à paz como pedia a música, e não briguei (mas não deixei ela passar, que eu não sou trouxa).

Esse show foi, sem dúvida, momento Top 5 de 2010. Quicá da década. Emoção para vida toda.

E o melhor de viver este momento, era saber que eu dividia ele com minha mãe, no seu camarote lá do céu. Mãe, esse Band on the run é para você!



PS: Olha só... a Rosana foi no mesmo dia que eu, e pelo ângulo, acho que estava bem perto de mim... vejam este post e assistam o vídeo dos melhores momentos que ela selecionou... dá para sentir o que foi esta noite mágica!

3 comentários:

Regina Laura disse...

Mara, que delícia!!
Seu post me fez viver tudo de novo...
O show da minha vida!
Que bom saber que você também esteve lá e pôde viver esses momentos ÚNICOS!
Beijão :D

Mulheres Obssessivas disse...

Imagino que deve ter sido mara. que inveja rosa

Dori DLua disse...

Sabia que eu nem tinha pensado em show do Paul? E foi o primeiro post sobre o show q eu vi e ADOREI!!! Deu emoção, sabe?
Eu nunca fui num show internacional... queria ver U2... ai, ai! rs
Beijo