quinta-feira, 30 de junho de 2011

Julho


Quando o dia do meu aniversário vai se aproximando, eu sinto uma ansiedade quase incontrolável. E meio que uma paralisia também. Não sei o motivo. Talvez pelo fato de meu aniversário ser nas férias. E você sabe, quem faz aniversário em julho não tem festinha na escola. Quando eu era pequena, como eu queria um bolo na escola! Sim, algumas mães faziam a festa tardiamente. Mas a minha mãe provavelmente nunca pensou nisso (por ter a agenda absolutamente cheia) e eu nunca fui de pedir as coisas. Tenho certeza de que se tivesse falado com ela dessa minha vontade, ela teria atendido. Mas eu sou assim mesmo, bundona: quero que as pessoas PERCEBAM o que eu sinto. Coisa de canceriana mesmo, desde sempre.

Então quando eu fiz 15 anos, não tive nem festa. Naquele ano, a nossa casa estava caindo aos pedaços, e meus pais precisaram comprar todos os móveis de novo, além de uma super reforma. Ninguém tinha grana para uma festa. Ainda mais em julho, né? todo mundo viajando...

Aí eu prometi que faria uma super festa de 30 anos. Faltava 2 anos e eu bradava aos quatro ventos da minha super mega blaster festa de 30. E os 30 vieram... e estão indo embora e nada de festa. Quando vai chegando perto volta o sentimento da menina que não tinha festa, e o aniversário ainda cai em dia de feriado em São Paulo, não sobra um. Mas eu acho que a minha grande questao é a timidez e o medo de ser rejeitada.

Bom, dia 09 de julho faço 40. E galera geral cobrando a festa. Inclusive porque este é meu primeiro aniversário no meu apartamento novo, e ele tem salão de festa. Mas o salão é pequeno e cabem apenas 40 pessoas. E minha lista básica tem 78. Sofri com isso por dias, e por fim dividi a festa em 2 dias: uma para amigos, e outra para família. Mas ainda assim estou tensa. Muito tensa.

E, como aquela menina da escola triste por não comemorar com a classe, fico tão chateada com alguns amigos optando por não passar esse dia comigo. Sim, eu sei que o mundo não gira ao meu redor, que não é pessoal, mas o que eu posso fazer? Sentimento é coisa que a gente sente. Eu deveria me apegar aos que dizem SIM, mas os NÂOS pegam pesado em mim. Alguns NÃOS eu compreendo, outros eu fico buscando o porquê.

Tudo o que eu desejo para mim nessa nova década da minha vida é que eu seja mais leve. Que eu não pense tanto, especule tanto. Uma coisa meio aquela canção dos Beatles: live and let live.

5 comentários:

@dansevilla disse...

Oi, Mara!
Como eu te entendo! Também sou de julho (dia 24 faço 35) e, além do problema da festa sempre acontecer em agosto (horrível quando se é criança), eu sou A PESSOA que pensa muito!! Sofro, tento entender os motivos das coisas, fico até doente... tudo em vão! Neste ano nem vou comemorar meu aniversário por conta de várias decepções, afastamentos sem explicação, enfim, um monte de "nãos" estranhos que recebi e nunca vou entender.
Esse "desabafinho" todo é pra dizer que você não está sozinha nesse seu pensamento! Aproveite MUITO as suas festas (que legal fazer duas!) e não sofra por não entender a escolha dos outros. A gente PIRA mesmo se ficar tentando!!
Beijão!

Mara disse...

Ai, Danzinha...
só vc me entende... rs
Minha mãe fazia aniversário dia 26. Tão pertinho de você. Você é leonina das boas, já captei!
beijo

ca disse...

Você não está sozinha mesmo. Desde pequena tive aniversários conjugados com minhas duas primas. Então a festa nunca era minha. Era nossa. E quando crescemos e ela virou só minha nunca tive coragem de fazer festa, porque sei que os nãos vão me massacrar. Já tem dois anos que adio meu casamento porque acho que ninguém vai.
Jesus, que coisa patética. Mas tá tudo certo porque o dinheiro tá curto mesmo.

Fabi disse...

Faço aniversário dia 26 de dezembro.
Sobrava tanta comida do natal, e o tal do pavê, que era bobagem fazer coisa diferente.
Todo mundo já tinha cumprimentado na noite anterior, ou seja... os parabéns eram de minha mãe e dos muuuuito próximos, rs
Te entendo.
Também tenho essa vontade de festa, e esse medinho da decepção...
Mas o tempo nos ajuda, né??
Beijão

Mariana disse...

Quando era pequena, eu sempre sentia essa sensação que você fala o dia do meu aniversário.
Já de grande não sinto nada, e os presentes são outros.
Recebi lentes acuvue que era o que eu queria, mas de criança só queria ganhar brinquedos.