domingo, 15 de agosto de 2010

Sacada vazia

2003. O ano que eu saí de casa. Mas nunca devolvi minha chave. Ia sempre lá, quase todo dia. Na hora de ir embora, mamãe acompanhava até a porta, e ia até a sacada, ver o carro ir embora. E pelo retrovisor eu via o bracinho dela, acenando. Sempre. Qualquer hora. Qualquer tempo, até com guarda-chuva.

Dia 15 de agosto de 2009, um sábado que eu ia sair com as amigas. Antes da balada, passei na casa da mamãe para dar um beijinho, pois ela ia viajar no dia seguinte. Fiquei lá uns 15 minutinhos. Fiquei com raiva de uma bobagem que ela nem percebeu (que eu deixei para brigar quando ela voltasse, ah, ela não perdia por esperar!!!). Contei para ela que acertei minha viagem para a Disney e ela me pediu uns esmaltes. Falei assim: "mãe, a gente conversa disso depois, né, boba?". E dei uns beijinhos nela, um abraço e fui embora. E ela foi até a sacada me acompanhar. Lembro que olhei para trás, dei tchau e como sempre olhei para ela, sumindo no retrovisor.

Foi a última vez que vi minha mãe.


Sei que ela não está lá, mas eu vejo minha mãe naquela sacada. Até hoje. Ô saudade que não sai desse peito. Hoje faz um só um ano desse último beijo que eu dei, desse último abraço que eu apertei, que eu nem lembro se dei tão bem apertado assim pois não sabia que era o último. A gente tinha tanta vida pela frente...

5 comentários:

Fernanda Reali disse...

Que triste. Eu te conheci neste momento, quando tua mãe tinha acabado de falecer. Muito difícil dizer algo.

Carpe diem, aproveita os dias de hoje com aqueles a quem tu queres bem e que estão por perto.

Bjs

Regina disse...

Eu estou com lágrimas nos olhos....conforme nos falávamos ao celular minha mãe voltava da casa dela (foi buscar as contas pra pagar) e vim ler seu post que eu deixei aberto...
Amiga querida, eu nem posso dizer que faço idéia, nós não fazemos... eu só posso dizer que você pode contar com meu ombro sempre!
Beijos no coração!

adriana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
adriana disse...

Marinha como sempre seus post me emocionam muito e esse não seria diferente,mas olha tenha certeza vc fez tudo certo e sempre foi uma super filha...E tia Pota está lá sim na sacada olhando sempre por vcs...Ontem passei o dia lembrando como ela era especial...
Saudades
Drica

Laninha disse...

Nossa! Chorei lendo seu post e pensando no relacionamento semelhante que tenho com minha mãe... Não deve ser fácil para você...
Abraços