domingo, 5 de fevereiro de 2012

Campanha pela vida

vi esse post num Facebook  qualquer e achei que isso servia tanto... para mim!



Uma vez, tentando me aprofundar um pouco nas teorias espíritas, li que quando se sofre um aborto natural, é porque o espírito que ia encarnar nessa criança teve medo de sua missão, da sua família, dos seus pais, do seu destino. E isso sempre me vem na cabeça quando penso no filho que pedi em 1997. Sim, ele teria hoje 15 anos e eu o estaria enlouquecendo!

Houve um momento na minha vida que eu virei mãe da minha mãe, do meu pai, das minhas irmãs, do meu ex-marido. Aquela que autorizava o que se devia comprar, quanto gastar, onde ir, como ir. E isso sempre foi muito confortável para as pessoas, tenho certeza. Mas isso fez de mim uma control-freak, que às vezes acha que tem que controlar o mundo e proteger as pessoas amadas de todo mal.

E a úncia pessoa que eu não protejo do mal sou eu mesma. E é exaustivo tentar prever o que pode acontecer, viver advertindo as pessoas dos perigos, dos MEUS medos. Não fazer nada por mim, e fazer pelos outros, e quando as coisas acontecem com os outros não conseguir ficar feliz, pois não sei se o sentimento é ciúme, inveja ou preocupação.

Me sinto presa numa armadilha, e hoje tudo o que eu queria era cuidar só de mim.

2 comentários:

Elaine Tasquim Biason disse...

Vivo isso todos os dias Marinha... Meu pai era usuário de drogas quando er era adolescente (graças a Deus ele parou anos antes de falecer), minha mãe totalmente dependente e uma irmã recen nascida quando eu tinha apenas 17 anos e comecei a cuidar de todo mundo desde então...
Hj tenho 37 e se passaram 20 anos, mas ainda cuido de todo mundo...
As vezes sinto falta de cuidados, de descançar um pouco, de ser cuidada tbém... Mas hj além de cuidar da mãe e da irmã, tenho um marido, do qual tbém cuido...
Sempre me pergunto, quem cuidará de mim???
Não sabia que vc havia perdido um bebê, nem consigo imaginar tua dor, sinto mto, mesmo com 15 anos de atraso...
Beijos

KK Pache disse...

Mara, vc me descreveu, sou Control-freak total.
E como isso cansa, diversas vezes acabo discutindo com as pessoas, pq o peso é enorme, e a gente só quer que eles assumam esse "suposto controle" né?
Bjs