domingo, 25 de abril de 2010

Malévola feelings

Era uma vez uma menininha.

A menina era fofa. Era boa filha, estudiosa. Nunca deu trabalho para ninguém. Era a melhor amiga de todo mundo. Ela cuidava das amiguinhas, ligava, animava, ajudava, consolava. E quando suas amiguinhas estavam felizes, a menina ficava feliz igual. Não importava se sua vida estava chata. Ela vivia a felicidade das amiguinhas.

Um belo dia, porém, ela parou de ficar feliz. Uma amiguinha casou, e ela ficou triste. Outra amiguinha teve um nenê. Ela ficou desolada. Outra amiguinha viajou o mundo inteiro, e a menina ficou com vontade de largar a escolinha e aproveitar a vida. E outra amiguinha conseguiu não voltar a engordar. Então a menina olhou para dentro dela e ficou muito decepcionada, assombrada com o tanto de sentimento ruim que tinha dentro dela. "Que coisa feia sentir inveja, menina! Você é superior a isso!", ela dizia a si mesma. Mas ela não conseguia se convencer. Ela não estava feliz. Não conseguia sentir bons sentimentos. Não conseguia ser a boa menina que sempre foi.
E ela se sentiu a Malévola, que na fábula da Cinderella lançou a maldição da roca de fiar somente por não ter sido convidada para um batizado. E a menina se deprimiu. Não estava gostando desses sentimentos ruins que não passavam no seu coração.

Só que a menina tinha uma fada-madrinha:
E a fada explicou para a menina que ela não era uma má pessoa. Que ela não era invejosa. Que ela não desejava coisas ruins para as outras pessoas. Na verdade, o que ela sentia era muito bom. Isso significava que a menina FINALMENTE estava se colocando na frente dos outros. Ao ver as amiguinhas conseguindo as coisas, ela via que queria também e tinha direito a isso. E seu coraçãozinho estava se recusando a ficar apenas com as migalhas de felicidade vindas das amiguinhas: ela queria o pacote completo.

E que é essa insatisfação que vai fazer a menina sair do lugar e lutar pelo que quer.

(nota de esclarecimento: não se alegrar com a alegria dos outros não significa desejar o mal para o outro, ok?)

8 comentários:

fádia disse...

hum... interessante!

Leticia disse...

Uau!!! Eu estou há tempos tentando dizer o que sinto e vc com essa metáfora simplesmente traduziu o que meu coraçao está gritando.

Que ótima consulta terapeutica... onde passo para acertar a conta?! Rsrs...

Daniela disse...

Por um instante achei que você estava falando de mim! Identificação e sincronicidade totais, que medA!
Beijos,
Dani Sevilla

Mara disse...

Meninas!
Obrigada por não me deixarem só nesse mar de sentimentos confusos!
beijos

Julia disse...

Nossa até arrepiei .... parece que escreveu para mim.
Beijo

William De Almeida disse...

Ridículo!!!!!!!!! A Malévola é a bruxa má da Bela Adormecida (Princesa Aurora)e não da Cinderela( a gata borralheira do sapatinho de cristal). Não confunda as princesas ok? Conserta isso já!

William De Almeida disse...

e só pra lembrar...Cinderela não é uma fábula é um conto de fadas!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Mara disse...

hahahahahaha

desculpaê William, se eu na minha idade não lembro mais qual princesa fez o que com quem, viu??

desculpaê que eu não sei a diferença entre conto de fadas e fábula!

desculpaê, mas eu NÃO VOU CONSERTAR NADA JÁ, se não gostou clica naquele X no canto direito.